Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

São Paulo ganha virada literária em outubro

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

25 de September, 2019

Share

Apresentado por

Amantes da leitura, uni-vos, pois vai rolar a primeira edição do Festival Mário de Andrade – A Virada do Livro, um evento lindo e mais do que necessário nesse momento em que temos um governo contra a cultura.

Será a primeira grande festa de rua dedicada ao livro e à leitura em São Paulo. Na agenda mais de 150 atividades gratuitas espalhadas por onze pontos da cidade entre 4 e 6 de outubro. Destaques não faltam! Entre eles tem o líder indígena Ailton Krenak, Isabela Figueiredo, Fernanda Montenegro, Lilia Schwarcz, Milton Hatoum, Russo Passapusso (BaianaSystem), além de nomes internacionais como o Kalaf Epalanga (Buraka Som Sistema), Mia Couto e Zamaswazi Dlamini-Mandela (neta do Mandela).

A programação conta com conversas com autores, oficinas, espetáculos de rua, duelo de cordel, sarau, teatro, dança e música.

Batizado Corredor do Livro, o trajeto entre a Biblioteca Mário de Andrade e a Praça das Artes, passando pela Rua Coronel Xavier de Toledo e pelo Theatro Municipal, é o eixo central do evento, que se espalha ainda pelos centros culturais Tendal da Lapa e Cidade TiradentesCentro de Culturas Negras e Centro Cultural da Juventude.

Neste trecho principal, cem tendas abrigam as principais editoras, livrarias, bancas e coletivos do Brasil, como Companhia das Letras, Banca Tatuí, Record, Todavia, Planeta, Editora 34, Ubu, Zahar, Saraiva, Senac, Edições Sesc SP, Leia Mulheres, Poetas do Tietê, Nômade, Perifatividade e Fantasistas, Quilombhoje, entre outros.
 
O evento promove a ocupação cultural da cidade em um grande encontro inspirado na cultura do livro, reunindo autores, editores, leitores, bibliotecários, livreiros, coletivos e públicos de todas as idades e de todo o Brasil. A Virada do Livro apresentará também várias iniciativas editoriais voltadas para a diversidade LGBTQIA+, a questão racial e o feminismo.

Destaques da programação

Mia Couto por Leonardo Attuch

A abertura do evento, dia 04 de outubro, às 19h, na Praça das Artes, é marcada pela apresentação compacta de “Yebo”, espetáculo no estilo gumboot dance (dança de botas de borracha), criado pelos trabalhadores das minas de ouro e carvão da África do Sul, no século XIX. A coreografia aborda a exploração tanto dos minérios como dos sete povos que os extraíam, assim como a espera das mulheres por seus maridos mineiros.

Após a apresentação, o autor moçambicano Mia Couto conversa com a jornalista, escritora e atriz Bianca Ramoneda sobre questões como as relações do homem com seus pares e o planeta, analisadas sob uma perspectiva africana e literária. Na ocasião, o ator Silvio Restiffe lê trechos da obra do autor. No dia 5, Mia Couto bate um papo com Milton Hatoum, no Tendal da Lapa, às 17h30.

No Theatro Municipal, a atriz Fernanda Montenegro, indicada ao Oscar por “Central do Brasil”,  lança o seu livro de memórias “Prólogo, Ato, Epílogo” (06, às 16h), relembrando sua trajetória em conversa com a jornalista Marta Góes, colaboradora do livro.

Espetáculo Goitá do Cisne Negro Cia. de Dança

Já a programação da Praça das Artes reúne debates, bate-papos e intervenções. Entre os destaques, o encontro da moçambicana Isabela Figueiredo, autora de “Caderno de Memórias Coloniais”, com Milton Hatoum, autor de “Dois Irmãos” (05); o espetáculo “Goitá”, que reúne a companhia de dança Cisne Negro e a companhia de teatro de bonecos Pia Fraus (06); a conversa sobre natureza, ação predatória do homem e criação artística entre o líder indígena, ambientalista e escritor Ailton Krenak e a artista visual da região amazônica Berna Reale (05); e o bate-papo da autora gaúcha Angélica Freitas com a escritora portuguesa Alexandra Lucas Coelho sobre arte, criação, feminismo e o lugar do escritor nos debates das grandes questões do mundo.

Na Biblioteca Mário de Andrade, oficinas, teatro e música compõem a programação. Entre os destaques está a peça “Amar, Verbo Intransitivo”, texto de Mário de Andrade. Com direção de Dagoberto Feliz, o espetáculo tem apresentações sexta (04), sábado (05) e domingo (06). Na programação infantojuvenil, duas peças da Cia. das Cores“Chiquinha Gonzaga, a Menina Faceira” (05) e “Tico-Tico” (06). A programação musical da Mário fica por conta dos shows Dueto, voz e violão com Livia & Arthur Nestrovski (06); e “La Commedia é Finita” (05), com Rômulo FróesClimaRodrigo CamposKiko DinucciJuliana PerdigãoRichard Ribeiro e Fábio Sá, num show com canções compostas por Clima e Nuno Ramos.

Entre as oficinas ministradas na Biblioteca Mário de Andrade, destaque para temas como poesia, com Angélica Freitas (05 e 06); performance, com Ricardo Aleixo (05 e 06); romance, com Assis Brasil (06); e contos, com Socorro Acioli (05 e 06). Uma programação especial do Centro de Pesquisa e Formação – Sesc SP  oferece oficinas como as de conservação em acervos, com Fernanda Kelly Silva de Brito (05); e estudos de palavras, com André do Amaral (06).

A escritora Liliane Prata participa do debate “Escritos na Rede”. Foto divulgação

No domingo, a Dom José Gaspar é palco do debate “Escritos na Rede”, que propõe uma conversa sobre redes sociais, literatura e comportamento. O bate-papo conta com a presença do ilustrador Aureliano Medeiros, autor de “Madame Xanadu”; da youtuber Liliane Prata, autora de “O Mundo Que Habita em Nós”; e da poeta Ryane Leão, autora de “Tudo Nela Brilha e Queima”. O palco também recebe “Coro de Vozes Comuns – Voco”, uma intervenção comandada pelo performer Ricardo Aleixo.

Sesc São  Paulo apresenta, entre os dias 4 e 6, uma programação especial na unidade 24 de Maio e no Centro de Pesquisa e Formação. Entre os destaques, a Feira de Publicações das Edições e Selo Sesc, com livros, CDs e DVDs; bate-papos sobre conservação de acervos e cultura negra; duas apresentações da Orquestra Modesta, com repertório do álbum “Canções para Pequenos Ouvidos”; a coreografia Mar: Uma Dança com o Vento, de Marina Guzzo; e o show com contação de causos do violeiro Levi Ramiro.

Kalaf Epalanga. Foto: divulgação

Kalaf Epalanga e Russo Passapusso participam da mesa Sound System para falar sobre arte, experimentação e reinvenção dos lugares. A jornalista Adriana Couto será a mediadora do bate-papo que acontece na Praça das Artes, no dia 6, às 17h.

No dia 6, às 19h, na Praça das Artes, a Zamaswazi Dlamini-Mandela e Sam Venther, organizadora das cartas da prisão, encerram o Festival com um tributo a Mandela. A conversa é mediada pela historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz e o ator Felipe Soares fará leituras das cartas de Mandala.

Quem não estiver em São Paulo, poderá acompanhar o Festival Mário de Andrade – A Virada do Livro ao vivo via streaming no SPcine Play. A transmissão começa com o bate-papo com o Mia Couto, no dia 4, às 19h30.

A programação completa está aqui.

*Foto destaque: Fernanda Montenegro por Paulo Belote / Rede Globo

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

25 de September, 2019

Share

Apresentado por

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.