Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Foto MIS 2019: Pierre Verger e mais 3 exposições imperdíveis

Quem escreveu

Renato Salles

Data

25 de September, 2019

Share

Apresentado por

Todos os anos, o Museu da Imagem e do Som (MIS) reserva uma parte da agenda para uma exposição exclusiva para a fotografia. O evento, que antes se chamava Maio Fotografia, agora veio para o segundo semestre e foi rebatizado de Foto MIS. Em edições passadas, já estiveram expostos lá trabalhos de gente do calibre de Andy Warhol e Claudio Edinger. E a edição de 2019, que vai até 13 de outubro, não está menos que imperdível.

O grande destaque do Foto MIS desse ano é a mostra ‘Todos iguais, todos diferentes?‘, com a obra do fotógrafo francês Pierre Verger. Aqui são expostos vários retratos que ele fez ao longo da carreira por todo o mundo, impressos em grande formato, sempre agrupados dois a dois. Como o próprio título entrega, gêneros, classes, etnias e idades diferentes são contrapostos para mostrar quanto podemos ser parecidos, mesmo com as maiores diferenças geográficas e temporais. Estão ali também alguns retratos de celebridades tiradas por Verger, como Ernest Hemingway, Walt Disney e Diego Rivera.

A seguir, ‘Estudos fotográficos: 70 anos de memória‘ recria a primeira exposição de fotografias em um museu feita no Brasil nos anos 40, com o trabalho conceitual do artista brasileiro nascido na hungria Thomaz Farkas. E logo ao lado, ‘Caretas de Maragojipe‘ mostra o trabalho do seu filho, também fotógrafo, João Farkas. Ali, uma instalação em vídeo conta o Carnaval como patrimônio imaterial do recôncavo baiano, em uma dança infinita.

Caretas de Maragojipe, de João Farkas - foto: Renato Salles
Caretas de Maragojipe, de João Farkas – foto: Renato Salles

Por último, em ‘Haenyeo, mulheres do mar‘, o fotógrafo Luciano Candisani nos leva a uma viagem para um canto remoto da Coreia do Sul, onde vive uma comunidade de mulheres mergulhadoras, que tem no mar seu meio de sobrevivência. O trabalho dele impressiona tanto quanto a história dessas senhoras (uma tem mais de 90 anos!) que mergulham diariamente para caçar só com o ar dos pulmões. Destaque para a cenografia belíssima que, com o contraste entre claro e escuro, quase nos dá a sensação de apneia ao percorrer a exposição.

Haenyeo, Luciano Candisani, Foto MIS 2019
As mulheres mergulhadoras de Luciano Candisani

Foto MIS 2019
MIS – Avenida Europa, 158. Jardim Europa
De terça a sábado, das 10h às 20h. Domingos e feriados, das 10h às 18h
Ingressos: $20 e $10 (meia). Grátis às terças

Quem escreveu

Renato Salles

Data

25 de September, 2019

Share

Apresentado por

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.