De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

Podcast: Jogo do CoP #5 - O Instagram arruinou o turismo?

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

20 de October, 2018

Share

A forma como viajamos mudou drasticamente desde o surgimento das redes sociais, mas foi no Instagram que encontrou a sua maior mudança. A plataforma foi lançada há 8 anos e mudou completamente o jeito das pessoas viajarem.

As pessoas passaram a pesquisar suas viagens através de geotagging e muitas decidem o próximo destino a partir de fotos que viu no Instagram. Viajar sempre foi sobre explorar e curtir o momento. Com o Instagram, a viagem passou a ser a busca pela foto perfeita. Hoje todo mundo quer ir para o mesmo lugar, tiram as mesmas fotos e esse narcisismo que temos nutrido tem tido também um impacto negativo no nosso ecossistema.

Afinal, o Instagram está ou não arruinando nossas viagens? Essa é a pergunta do nosso quinto episódio do podcast Jogo do Cop. Para esta edição, convidamos o jornalista Victor Gouveia.

*Foto capa: Legion Media

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

20 de October, 2018

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.