Museus Incríveis: MAAT

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

20 de June, 2018

Share

Essa não é a primeira vez que o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) aparece aqui no Chicken or Pasta: falamos sobre ele assim que abriu, em 2016, e de toda a expectativa que, não só nós, mas o mundo tinha com esse novo museu. E, conhecendo ele agora nessa temporada que passamos em Lisboa, garantimos que ele é tudo isso, sim.

O lugar já impressiona de fora: é um dos museus mais bonitos que já vi e que melhor conversa com a área em que está inserido. E não sou só eu que penso assim: em setembro do ano passado, o MAAT ganhou na categoria Melhor Arquitetura de Museu do Ano pela Leading Culture Destination Awards, que tem o mesmo peso do Oscar para os museus. E não é a toa: o prédio foi projetado pelo escritório de arquitetura inglês AL_A, que foi responsável também pela expansão do Victoria & Albert Museum em Londres. A fachada é coberta por 15 mil azulejos, mantendo a tradição portuguesa, que mudam de cor de acordo com o reflexo das águas do Rio Tejo neles. E o lugar criou também um novo espaço público, já que é possível andar no terraço – ele é aberto ao público 24 horas por dia – e ter uma vista panorâmica do rio e de Belém.

MAAT
Foto: Dani Valentin

Falando sobre o interior: são 3 mil metros quadrados distribuidos em 4 espaços distintos de galeria: a Galeria Oval, a Galeria Principal, o Video Room e o Project Room. O museu é focado em arte contemporânea, misturando mídia, arquitetura, ciência, tecnologia. São exposições individuais e coletivas, nacionais e internacionais, e sempre tem uma instalação específica na Galeria Oval, que é a primeira visitada quando entramos no lugar. De resto, espere um dos museus mais interativos que já vi e que sabe usar tecnologia na medida certa. Minha impressão é que a curadoria é tão bem feita – as responsáveis são Ana Anacleto e Inês Grosso – que ela satisfaz qualquer tipo de visitante, da criança ao adulto, do entusiasta de arte e àquele que simplesmente não entende nada. Até o banheiro do lugar é lindíssimo.

MAAT
Foto: Dani Valentin
MAAT
Foto: Dani Valentin
MAAT
Foto: Dani Valentin

Os números do MAAT comprovam todo esse sucesso: até outubro do ano passado, quando o museu completou seu primeiro ano, foram meio milhão de visitantes, 23 exposições e quase 500 artistas expostos por lá. Ainda, ele ganhou 6 prêmios, como Melhor Novo Museu em 2016 pela Art Tribune e o Architecture Best of Best pela Iconic Awards.

MAAT
Foto: Dani Valentin

O MAAT, junto com a Central Tejo – iconica central elétrica de 1908 – compõem o Campus Fundação EDP, que tem 38 mil metros quadrados no total. Ambos são conectados por um jardim projetado pelo arquiteto paisagista Vladimir Djurovic. A Central Tejo funcionou como termoelétrica até 1954 e desde 2016 reabriu como um museu. Nele, é exibida a exposição permanente Circuito Central Elétrica, que apresenta o maquinário original e conta toda a história da fábrica.

Não deixe de visitar quando for a Lisboa.

Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia
Av. Brasília, Central Tejo – Lisboa – Portugal
Aberto todos os dias, das 11h às 19h, exceto às terças, 25 de dezembro, 1 de janeiro e 1 de maio
A entrada custa EUR5, com descontos para crianças e idosos.
A programação do verão 2018 – maio a agosto – pode ser vista aqui.

 

* Foto de capa: FG+FS – Cortesia da Fundação EDP

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

20 de June, 2018

Share

Dani Valentin

A Dani gasta todo o seu dinheiro com viagens. Um de seus maiores orgulhos é dizer que já pisou em cinco continentes. É do tipo sem frescura, que prefere localização a luxo e não se importa de compartilhar o banheiro de vez em quando. Adora aprender palavras no idioma do país que vai visitar e não tem vergonha de bancar a turista.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.