De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Livro de viagem: Karmatopia - Uma viagem à Índia

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

05 de March, 2018

Share

Um dos meus objetivos para o ano novo foi o mesmo de vários anos anteriores: ler pelo menos um livro por mês. Fácil não é, porque ficamos desacostumados com a leitura tamanha são as distrações ao nosso redor. Mas, por enquanto, eu posso dizer que estou sendo vitoriosa no meu próprio desafio.

O livro “Karmatopia, uma viagem à Índia”, da carioca Karla Monteiro, foi o primeiro do ano e me rendeu uma imersão completa em um dos países que mais temo conhecer. Gosto de livros assim, que me sugam para dentro de suas páginas. A Karla cumpre bem o papel de conduzir o leitor em uma viagem tão intensa quanto a que fez rodando a Índia, de norte a sul, por seis meses. Foram 10 mil quilômetros percorridos em 195 dias.

Karmatopia, Uma viagem à Índia. Autora: Karla Monteiro
Karmatopia, Uma viagem à Índia. Autora: Karla Monteiro

Não é a primeira vez que a autora pisa na Índia. Mas diferentemente das duas vezes em que a autora esteve na Índia, esta terceira viagem foi para tentar entender o porquê da fome ocidental pela espiritualidade. Esse é o pontapé que a faz revirar a Índia atrás dos maiores gurus para tentar ajudá-la a encontrar a resposta. Nomes não faltam em suas entrevistas. De Prem Baba ao Bobby Mescalina, do doutor Arora a uma inglesa que afirma ter ficado 14 anos numa caverna no Himalaia sem dormir, a autora conversa com personagens fascinantes que trazem respostas das mais diversas.

A Índia no olhar de Karla Monteiro. Foto: Karla Monteiro

A Karla traz a gente para perto. É possível sentir os odores, os sabores, os barulhos, suas ironias e as grandes questões pessoais que leva consigo na bagagem. Ao final da leitura, é provável que você tenha também várias perguntas e vontades de mudanças. Não só isso, mas de repente aquele pavor de se aventurar pela Índia é substituído por uma vontade inexplicável.

Ela tem um poder e uma desenvoltura chocantes para se aproximar de qualquer pessoa que cruza seu caminho. Todos ficam íntimos de Karla, inclusive a Índia. Karmatopia é, principalmente, sobre pessoas e desapego. Karmatopia nos faz questionar o que estamos fazendo com nossas próprias vidas. Descreve uma Índia tão fascinante quanto imaginamos que de fato ela seja.

Entre vários trechos que me comoveram, um, muito simples aliás, me tocou profundamente. Foi a resposta de Iyengar sobre tempo “Eu não acredito em falta de tempo. Eu acredito em desperdício de tempo. Quando as pessoas dizem “eu não tenho tempo”, estão falando o idioma da fuga, do escape. O tempo físico existe. Não existe o tempo mental, o que é muito diferente. A falta de tempo é algo psicológico. Está na mente, na incapacidade da contemplação. Isso é tudo que eu tenho a dizer. Não tenho paciência para a frase “eu não tenho tempo”.”

O livro não é recente. Foi lançado em 2014, mas só agora caiu no meu colo. Eu poderia dizer ter sido um empurrão do destino. Tirei uma foto do livro “Mas você vai sozinha”, da amiga Gaia Passarelli, e enviei para ela. Sequer prestei atenção nos livros que estavam em volta dele. A resposta dela foi: “Karmatopia é ótimo!” Não titubeei, comprei e o devorei em quatro dias.

Karmatopia é a leitura perfeita para quem busca uma introdução sobre a Índia. Você pode até não gostar da Índia que vai encontrar, mas duvido não ser seduzido por ela.

*Foto destaque: Varanasi, Índia por Arian Zwegers

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

05 de March, 2018

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.