Viagem

Chile recebe doação de 11 milhões de acres para novos parques

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

27 de March, 2017

Share

No último dia 15, o Chile recebeu uma doação de 11 milhões de acres de terra para a construção de novos parques. Feita pela Tompkins Conservation, essa doação é a maior já feita por uma entidade privada na história. Para se ter noção do tamanho disso, a área é igual a 3 vezes o tamanho dos parques de Yellowstone e Yosemite juntos – ou ainda, maior do que a Dinamarca inteira.

Parque Patagonia. Foto: Tompkins Conservation
Parque Patagonia. Foto: Tompkins Conservation
Parque Pumalin. Foto: Tompkins Conservation
Parque Pumalin. Foto: Tompkins Conservation
Parque Patagonia. Foto: Tompkins Conservation
Parque Patagonia. Foto: Tompkins Conservation

A Tompkins Conservation foi criada por Kristine MacDivitt Tompkins, que foi CEO da empresa de roupas Patagonia, e de seu falecido marido Doug Tompkins, um dos fundadores da The North Face e Sprit. O casal comprou essas terras nos anos 90, com a intenção de protegê-las do desenvolvimento industrial. Na época, o negócio não foi muito bem visto e eles foram acusados de diversas coisas, como por exemplo de serem espiões da CIA.

Com essa doação, o Chile se torna um dos países com maior porcentagem de terras protegidas, ficando lado a lado com Costa Rica. A área fica no sul do país e tem vulcão, florestas virgens e vegetação litoral selvagem. O governo se comprometeu em criar 5 novos parques nacionais ali, sendo que dois deles já existiam devido a Tompkins Conservation – o Parque Patagonia e o Parque Pumalín – esse último aliás ganhará mais 10 milhões de acres de terras públicas. Os dois parques já têm toda uma infraestrutura montada e estão prontos para receber turistas.

Parque Pumalin. Foto: Tompkins Conservation
Parque Pumalin. Foto: Tompkins Conservation

O mais legal dessa história toda é que com essa doação o Chile começa a formar o que será conhecido como a rota dos parques, conectando 17 parques do país, em um caminho de quase 2500 quilômetros, de Puerto Montt a Cabo de Hornos. Essa rota deve ser uma das mais famosas do mundo, a previsão é de que gere US$ 270 milhões ao ano em turismo e empregue 43 mil pessoas da região.

* Foto de capa: Sam Beebe

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

27 de March, 2017

Share

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter