Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

sp-arte: Respirando arte essa semana em São Paulo

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

06 de April, 2016

Share

Apresentado por

A partir de amanhã começa no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, também conhecido como Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, a feira sp-arte, que realiza sua 12. edição e é referência no mercado de arte mundial. Neste ano, 122 galerias nacionais e do mundo trazem mais de 2000 artistas para expor por aqui.

Carmela Gross - Galeria Vermelho
Carmela Gross – Galeria Vermelho

Sonia Dias de Souza - Room 8
Sonia Dias de Souza – Room 8

De destaques, temos as galerias estadunidenses David Zwirner, Michael Werner e Gagosian, a alemã neugerriemschneider, as inglesas White Cube e Lisson, as italianas Continua e Cardi e a mexicana Kurimanzutto. Os destaques nacionais ficam por conta de Dan, Luisa Strina, Mendes Wood DM, Fortes Vilaça, Nara Roesler e Luciana Brito.
Val lembrar que o evento é responsável por revelar novas galerias e esse ano temos a Frente, BFA (Boatos Fine Arts), Warm e Galeria Sé  – essas de São Paulo. A C. galeria do Rio de Janeiro e a galeria Mamute de Porto Alegre também estreiam por aqui.
Los Carpinteros - Galeria Fortes Vilaça
Los Carpinteros – Galeria Fortes Vilaça

25918763101_28a607f9c4_o
Sonia Dias de Souza – Room 8

Um dos setores mais interessantes da feira é o  Showcase. Nele, galerias selecionam no máximo 3 nomes de artistas novos que andam se destacando na cena contemporânea. Nesse setor participam galerias como Collage Habana, de Cuba, Room 8, de São Paulo e PASTO, de Buenos Aires, entre outras. Além do Showcase, o evento tem ainda o Setor Solo, para mostras individuais de artistas. São 16 galerias por aqui e alguns dos artistas presentes são: Henri Chopin (Galeria Saltoun – Londres), Juan Zamora (Slowtrack de Madri) e e Marilia Furman (PSM de Berlim).
Liam Porisse - Galeria Rabieh
Liam Porisse – Galeria Rabieh

E por último, o setor Open Plan é voltado para esculturas, grandes instalações e obras que firmam um diálogo com a arquitetura do Pavilhão. Por isso, muitas dessas obras são inéditas e foram feitas especialmente para o sp-arte. São 15 obras, com gente como ProjecteSD (Bracelona) com o espanhol Asier Mendizabal e Ultravioleta (Cidade da Guatemala) com Radamés “Juni” Figueroa  de Porto Rico.
sp-arte
Dia 7 a 10 de abril
Pavilhão da Bienal – Parque Ibirapuera, portão 3
Quinta a sábado, das 13h às 21h; Domingo, das 11h às 19h
Ingressos: R$ 40 (R$ 20 a meia)
*Foto de capa: sp-arte 2014 – Foto por Pangeia de dois/SP-Arte. Todas as fotos desse post foram tiradas do flickr oficial do evento.

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

06 de April, 2016

Share

Apresentado por

Dani Valentin

A Dani gasta todo o seu dinheiro com viagens. Um de seus maiores orgulhos é dizer que já pisou em cinco continentes. É do tipo sem frescura, que prefere localização a luxo e não se importa de compartilhar o banheiro de vez em quando. Adora aprender palavras no idioma do país que vai visitar e não tem vergonha de bancar a turista.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.