De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Conhecendo o café da Costa Rica

Quem escreveu

Gaía Passarelli

Data

25 de February, 2016

Share

Que Coca Cola que nada! A bebida globalizada de verdade é o café. Consumido em todos os continentes, o café pode ser filtrado, misturado, coado, aguado, com leite condensado, super concentrado, gelado ou instantâneo mesmo. Só não vale o das detestáveis cápsulas tipo Nespresso – mas deixa que isso é assunto para outro post.

A origem do café está na Etiópia e no Iêmen. No século 15, os grãos já eram moídos e diluídos em água quente em cafés públicos do mundo árabe. O hábito foi imitado pelos europeus, que levaram o café para o sudeste da Ásia e depois para o Caribe. O primeiro plantio em continente americano foi no século 18, obra dos invasores holandeses no atual Suriname. E dali a plantinha, muito bem adaptada ao solo e clima local, espalhou-se para a Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e América Central. O Brasil detém o título de maior produtor do mundo, exportando grãos que vão esquentar xícaras na Europa.

Antes do turismo se tornar a principal atividade econômica da Costa Rica, era o café que mandava por ali. As primeiras mudas vieram da Jamaica e se adaptaram muito bem à região de Alajuela, que ainda hoje concentra as maiores plantações do país.

Estive na Costa Rica em novembro e passei um dia aprendendo sobre café na propriedade de um dos gigantes produtores locais, a Doka – maior concorrente do onipresente café Brit. É um tour bem informativo, em que você acompanha todas as etapas da produção, desde a plantação de mudas ao ensacamento dos grãos.

O último carro de boi de Alajuela é comandado pelo Senhor Francisco, que fica na estrada esperando para tirar foto com os turistas.
O último carro de boi de Alajuela é o do senhor Francisco, que fica na estrada esperando para tirar foto com os turistas. Esses carrinhos coloridos eram usados por pequenos produtores para levar as sacas de grãos aos compradores.

 

A Doka é uma das gigantes produtoras de café da Costa Rica, e oferece um dos mais populares "coffee tours" perto de San José, a capital costa-riquenha.
A Doka é uma das gigantes produtoras de café da Costa Rica e oferece um dos mais populares “coffee tours”, perto de San José, a capital costa-riquenha. Toda a colheita é manual.

 

Oi? Colher café não faz parte da tour, mas se você quiser entender como funciona a coleta manual, é só pegar seu cesto e entrar no cafezal.
Colher café não faz parte do tour, mas se você quiser entender como funciona a coleta, é só amarrar seu cesto na cintura e entrar no cafezal.

 

O grão de café bom pra colher é assim, bem vermellhinho.
O grão de café bom para colher é assim, bem vermelhinho. Às vezes eles estão escondidos, e você precisa procurá-los com cuidado para não derrubar os frutos ainda verdes.

 

Mesmo que não sejam mais usados, os carros de madeira pintados (num estilo que lembra muito o filete portenho) ainda são valorizados e emprestam a imagem para peças de decoração e souvenires.
Mesmo que não sejam mais usados, os carros de madeira pintados (num estilo que lembra muito o filete portenho) ainda são valorizados e emprestam a imagem para peças de decoração e souvenirs. A Doka tem cafezais próprios, mas também compra café de produtores menores da região, que hoje levam suas sacas de café em caminhões mesmo.

 

Na foto, grãos de café em diferentes estágios: totalmente seco e fresco logo após sair da casca.
Na foto, grãos de café em diferentes estágios: totalmente seco ou fresco logo após sair da casca.

 

A secagem é feita no sol, em grandes áreas abertas.
A secagem é feita ao sol, em grandes áreas abertas.

 

O grão de café depois de descascar, lavar, separar e secar fica assim, bem clarinho.
O grão de café depois de descascado, lavado, separado e secado fica assim, bem clarinho.

 

E depois vai para as sacas. A maior e melhor parte da produção vai para países como a Itália. Na Costa Rica, como na maior parte dos países latinos americanos, o café normal do dia a dia é de qualidade muito inferior ao exportado.
E depois vai para as sacas. A maior e melhor parte da produção vai para países como a Itália. Na Costa Rica, como na maior parte dos países latino- americanos, o café normal do dia a dia é de qualidade muito inferior ao exportado.

Mais

http://dokaestate.com/
http://www.cafedecostarica.com/
http://www.coffeetour.com/

 

Quem escreveu

Gaía Passarelli

Data

25 de February, 2016

Share

Gaía Passarelli

Gaía Passarelli é paulistana de nascença, autora do livro "Mas Voce Vai Sozinha?"(Globo, 2016) e do blog How to Travel Light. Encontre-a em gaiapassarelli.com

Ver todos os posts

Comentários

  • eeee, mais uma vez, BELEZA DE MATÉRIA!!!! cur´ti muito...
    - Tadeu Passarelli

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.