Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Para que serve o buraquinho da janela do avião?

Quem escreveu

Renato Salles

Data

08 de June, 2015

Share

Se você já sentou na janela em algum vôo longo, ou mesmo nos curtos, com certeza já reparou naquele furinho que tem na base da janela. Se você é curioso(a) como eu, provavelmente passou boa parte desse vôo fritando a cuca para tentar descobrir para que raios esse buraquinho existe. E pior, por que sempre tem cristais de gelo ali? Tem água lá? Tem ar entrando de fora? Por que raios eu tenho que ficar hooooras olhando para esse maldito furinho que mais parece um defeito???

Bom, finalmente achei a resposta. Para começar, vamos dar um nome para o buraco: breather hole. Segundo, para ser bem claro: não é um defeito. É parte de um design bem específico e necessário para manter a integridade do avião.

As janelas das aeronaves são feitas de três camadas, todas feitas de resina sintética, mais resistente que o vidro. A camada de fora é bem grossa, e totalmente vedada. É ela que faz todo o trabalho sujo de aguentar a diferença enorme de pressão entre dentro e fora. A camada do meio é uma camada de segurança. Também é super resistente, capaz de aguentar 1,5 a força do ar pressurizado da cabine caso a de fora trinque ou quebre.

http://io9.com/
Aqui estão as duas camadas de fora e a borracha de vedação. Desenho tirado do manual de um Boeing 737 (fonte: http://io9.com)

 

Mas justamente por ser a camada de segurança, ela tem que estar em perfeito estado sempre. Sério. Se alguma coisa acontecer com a camada do meio, pode entrar em pânico. O manual da Boeing diz que o rompimento da camada do meio é CRÍTICO, assim em maiúsculas. Por isso, essa camada tem o breather hole. Ele deixa o ar da pressurização da cabine passar para o miolo entre as duas, jogando toda a responsabilidade de aguentar a pressão na de fora.

Fonte: http://io9.com
Fonte: http://io9.com

Diz-se que ele também é feito para evitar que a umidade do ar congele e a janela embace. Pela foto da abertura do post, já deu para ver que essa função não é lá tão bem cumprida.

Mas se são 3 camadas, para que serve a de dentro? Essa se chama scratch panel, o painel do arranhão. Serve para que os engraçadinhos que queriam cutucar a janela não consigam alcançar a janela de verdade, e não derrubem um avião ao escrever “Babaca esteve aqui”.

Foto do destaque: http://io9.com

Quem escreveu

Renato Salles

Data

08 de June, 2015

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

Comentários

  • Que legal! Sempre me perguntei para que serviria aquele buraquinho.
    - Marina Oliveira

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.