De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Caminhando e postando

Quem escreveu

Jo Machado

Data

23 de June, 2015

Share

Quantas vezes você, andando distraído pelas ruas, já esbarrou em alguém enquanto mandava uma mensagem de texto? Nenhuma?! Duvido! O fato é que, nas grandes cidades, isso acontece seguidamente e por sorte não vai passa de um esbarrão. E esse esbarrão às vezes pode te fazer derrubar o celular ou até mesmo te fazer cair no chão, você sabe.

Mas pensemos positivo e foquemos apenas no celular! Uma tela quebrada, um arranhão ou até mesmo aquela poça cheia de água onde seu belo celular novo pode mergulhar. Prejuízo à vista! Esses são alguns dos contratempos que podem ser, digamos, evitados com essa nova “tendência” das Text Walking Lanes.

Foto: boredpanda.com
Foto: boredpanda.com

Essas faixas especiais criadas para pedestres andarem enquanto navegam ou postam em seus celulares já são uma realidade em diversas cidades do mundo. Atualmente, além da cidade Chongqing na China, que convenhamos, é piada pronta não ter, calçadas no centro de Washington DC, o campus da Universidade Utah Valley e a cidade belga de Antuérpia também instalaram suas faixas. Previnir os esbarrões e organizar essa multidão cibernética e seus dedinhos muito loucos é a grande premissa desta idéia. Afinal, é para isso que caminhamos.

Foto: boredpanda.com
Foto: boredpanda.com

Sinceramente, aqui no Brasil, isso seria bem necessário em alguns lugares. Mas será que vale a polêmica? Fica a dúvida!

Foto: news.qq.com
Foto: news.cn
Foto: news.qq.com
Foto: news.cn

Quem escreveu

Jo Machado

Data

23 de June, 2015

Share

Jo Machado

O Jo é do tipo que separa pelo menos 30% do tempo das viagens para fazer o turista japonês, com câmera no pescoço e monumentos lotados. Fascinado pelas diferenças culturais, fotografa tudo que vê pela frente, e leva quem estiver junto nas suas experiências. Suas maiores memórias dos lugares são através da culinária, em especial a comidinha despretensiosa de rua. Seu lema de viagem? Leve bons sapatos, para agüentar longas caminhadas e faça uma boa mixtape para ouvir enquanto desbrava novos lugares. Nada é melhor do que associar lindas memórias à boas canções.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.